Paquistão




Praticado na índia, Bangladeche, Paquistão, Sri Lanka, Tailândia, Nepal, Japão e Malásia.

1. Formam-se duas equipas. A equipa defensora coloca-se dentro do campo de jogo e a equipa atacante, do lado de fora.

2. Um dos jogadores da equipa atacante entrará no campo de jogo com o objetivo de tocar no máximo de jogadores adversários.

3. O jogador atacante não pode respirar em momento algum, quando estiver dentro do campo. Para nos certificarmos de que não respira, tem de repetir continuamente em voz alta a palavra kabaddi.

4. Se respirar, enquanto estiver no campo de jogo, será eliminado e haverá uma troca de papéis: os atacantes passarão a ser defensores e vice-versa.

5. Se o atacante conseguir sair do campo de jogo sem respirar, todos os defensores em que tiver tocado são eliminados.

6. Se um atacante for tocado por um defensor, antes de ter voltado a atravessar a linha, o atacante morrerá e terá de sair do jogo. Então, as equipas trocam: os atacantes passam a ser defensores e vice-versa.

7. Quando há uma troca de papéis, os jogadores eliminados da equipa defensora não poderão entrar no jogo.

8. Quando se eliminarem jogadores da equipa adversária e na própria equipa houver jogadores eliminados, volta a entrar no jogo o mesmo número de jogadores da própria equipa do que o dos que tenham sido eliminados da equipa adversária.

9. O jogo termina quando uma equipa não tiver jogadores.

 

mudança de campo Kabaddi

Praticado na índia, Bangladeche, Paquistão, Sri Lanka, Tailândia, Nepal, Japão e Malásia. 1. Formam-se duas equipas. A equipa defensora coloca-se dentro do campo de jogo e a equipa atacante, do lado de fora. 2. Um dos jogadores da equipa atacante entrará no campo de jogo com o objetivo de tocar no máximo de jogadores adversários. 3. O jogador atacante não pode respirar em momento

Ver mais


mãos e pés Para cima ou para baixo

Descrito no Paquistão. 1. Todos os jogadores põem a sua mão esquerda com a palma virada para cima. 2. Quando se faz um sinal, deixam cair a mão direita sobre a esquerda, de modo a terem a palma para cima ou para baixo. 3. O jogador que deixe cair a sua mão de uma maneira diferente da do resto é quem ganha.